25 nov

Campanha do 'Novembro Azul' também é válida para cães e gatos

O câncer se desenvolve em animais, assim como em humanos. Incidência é relativamente pequena, mas a prevenção também é importante

O novembro azul é um movimento de conscientização a respeito de doenças que afetam a saúde do homem, sendo que as campanhas dão mais ênfase na prevenção do câncer de próstata. Mas não são apenas os humanos que precisam passar por exames preventivos. Isso porque esse tipo de câncer também se desenvolve nos animais domésticos.

No entanto, a incidência é maior em cães de grande porte. Normalmente, os sintomas começam a surgir nos pets mais idosos, entre 8 e 12 anos. O tumor apresenta alto grau de malignidade, causando metástases, ou seja, afetando vários outros órgãos. A dificuldade para defecar, incontinência urinária, complicação respiratória, constipação intestinal e perda de peso são os principais sintomas.

A prevenção é essencial. Levar o animal periodicamente ao médico veterinário é muito importante. Diagnosticar a doença ainda na fase inicial colabora e muito no tratamento. O médico veterinário Tiago Ladeiro de Almeida, de Sorocaba (SP), explica que os tumores não possuem uma causa específica para aparecer. Segundo ele, algumas alterações são benignas, como alguns adenomas, relacionadas a estímulos hormonais.

"Nestes casos, a castração quando jovens minimiza o desenvolvimento destas neoplasias. O mais importante, como no ser humano, é a prevenção, levando o animal rotineiramente ao médico veterinário para exames que poderão identificar precocemente uma afecção em desenvolvimento. Quanto mais cedo o diagnóstico, melhores as chances de tratamento", aconselha o veterinário de 40 anos.

Castrar o animal não significa  que ele está livre de desenvolver o câncer. Não são todos os tumores que são hormônios dependentes, ou seja, nem todos apresentam correlação com o fato do animal ser castrado ou não. O que se observa é que animais castrados apresentam menos complicações de próstata, sejam estas tumorais ou não. A veterinária Dóris Bruder, de São José do Rio Preto (SP), comenta o porquê isso não é uma recomendação.

"A castração somente vai evitar a hiperplasia prostática, mas não o câncer. O estímulo hormonal nada tem a ver com a doença, diferentemente do que ocorre no câncer de mama, nas cadelas, que quando castradas precocemente, tem uma chance próxima de zero para desenvolver a doença", explica a doutora de 61 anos.

Tratamento

Quanto ao tratamento, a remoção cirúrgica (retirada da glândula prostática total ou parcial), radioterapia e quimioterapia são indicados. O último ainda não muito bem estudados para os cães. Nos casos de tumores benignos, as chances de recuperação são altas, mas quando malignos, os tratamentos com recuperação completa ainda não apresentam alto índice de sucesso, principalmente em casos de metástases.

O que se consegue é prolongar normalmente a vida do animal, prezando sua qualidade e minimizando qualquer tipo de sofrimento. Por estes motivos, recomenda-se sempre que sejam feitas visitas regulares ao médico veterinário para identificação precoce de qualquer alteração. Em torno dos 6, 7 anos, fazer exames preventivos , como o toque retal para palpação da próstata, que é um exame muito simples, feito durante a consulta.

Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/mundo-pet/noticia/2016/11/campanha-do-novembro-azul-tambem-e-valida-para-caes-e-gatos.html

  • Leishmaniose: como evitar?

    09 nov

  • Tire suas dúvidas sobre Leishmaniose no perfil do Byte Amigo Pet no Facebook

    24 out

  • Ourofino realiza palestra sobre Leishmaniose no Facebook

    23 out

  • Ourofino Pet traz nova edição da campanha #LivredaPicada

    18 out

  • Medidas preventivas ajudam a controlar doenças gastrointestinais

    09 out

  • Disque-denúncia contra maus-tratos de pets será lançado em SP

    01 out

  • Ao vivo: saúde dos pets

    17 set

  • Ourofino Pet lança nova edição da Coleções Focinhos

    11 set

  • Carregar mais notícias