09 out

Medidas preventivas ajudam a controlar doenças gastrointestinais

Animais doentes representam um desafio para os tutores, que, naturalmente, precisam recorrer ao veterinário para tratar problemas dos pets, como vômitos e diarreias, sintomas que podem indicar enfermidades gastroentéricas. Depois de instalado o quadro, é necessário iniciar um tratamento. No entanto, existem medidas preventivas que devem ser adotadas com regularidade.

As doenças gastrointestinais podem ser desencadeadas por uma série de fatores, como estresse e alergia alimentar, ou, ainda, provocadas por vírus, bactérias e vermes, que são evitados a partir do protocolo de vacinação e vermifugação. “Quanto ao estresse e às alergias, para prevenir esses quadros são necessários ao animal doméstico uma dieta equilibrada e a prática regular de exercícios”, esclarece Stella Rosa da Fonseca, veterinária e analista técnica da Ourofino Pet.

 A especialista alerta ainda para outras condições que podem controlar ou prejudicar a saúde dos animais. “O ambiente limpo ajuda a prevenir as doenças. Em contrapartida, locais superpopulosos se tornam agentes na disseminação das patologias.”

 Nos quadros de gastroenterites, os vômitos podem vir acompanhados da presença de muco ou secreções biliares e as diarreias podem apresentar muco ou sangue, dependendo da causa. Outros sinais também costumam surgir, como apatia, perda de apetite e de peso. Nos casos mais graves, os sintomas podem se manifestar por vários dias. O exame clínico costuma ser complementado por outros mais investigativos, como endoscopia e análises sanguíneas. Em determinadas situações, uma cirurgia exploratória pode ser indicada.

 Com o diagnóstico correto, os médicos-veterinários poderão estabelecer os medicamentos adequados. Em muitos casos, o tratamento é feito com vermífugos, anti-inflamatórios e antibióticos, como os Top Dog, Maxicam Plus e o Azicox-2, todos da Ourofino Pet. O uso frequente de probióticos, como o Biocanis, previne os quadros entéricos por manter a flora bacteriana intestinal dos animais sempre saudável, impedindo a colonização da parede intestinal por agentes patogênicos.

 “Os especialistas podem, inclusive, recomendar ajustes na alimentação, feitos com a introdução de alimentos balanceados, capazes de facilitar a digestão e absorção de nutrientes. Isso ajuda a regularizar o trânsito intestinal, especialmente quando associado aos probióticos”, explica Stella.

 

Foto: IStock

  • Pensando nos animais, Avenida Paulista terá Ano Novo com fogos sem barulho

    10 dez

  • Relação humanizada entre tutores e pets estimula adoção

    10 dez

  • Ourofino discute comportamento e cuidados com pets no Facebook Live

    26 nov

  • Leishmaniose: como evitar?

    09 nov

  • Tire suas dúvidas sobre Leishmaniose no perfil do Byte Amigo Pet no Facebook

    24 out

  • Ourofino realiza palestra sobre Leishmaniose no Facebook

    23 out

  • Ourofino Pet traz nova edição da campanha #LivredaPicada

    18 out

  • Disque-denúncia contra maus-tratos de pets será lançado em SP

    01 out

  • Carregar mais notícias