O que é a Papilomatose?

A Papilomatose Canina é uma enfermidade infecto-contagiosa causada por vírus do gênero Papilomavírus. É uma doença de caráter neoplásico caracterizada pelo aparecimento de papilomas, os quais são tumores epiteliais benignos. Essas verrugas aparecem como uma cabeça de couve-flor de forma irregular no focinho ou perto dos lábios, gengiva e garganta do cão.

Quando um cão saudável entra em contato com um cão infectado, ele pode ser infectado através de contato direto ou indireto com secreções como saliva ou sangue dos papilomas de animais portadores deste vírus. Mesmo assim, há uma maior incidência em cães imunossuprimidos ou em filhotes, pois eles têm um sistema imunológico bem frágil. O período de incubação do vírus, após entrar no corpo de um cão, é de cerca de um mês ou dois. O papilomavírus canino é contagioso, mas apenas para cães. Ele não se espalha  de cães para os seres humanos ou outros animais de estimação. Elas não são perigosas, na maioria dos casos. Elas não causam qualquer tipo de problema de saúde ou problema com o cachorro. Em estágio avançado, a ulceração dos papilomas pode ocasionar infecções secundárias.

Os sinais clínicos variam de acordo com o local que o papiloma aparece, mas é frequente que eles apareçam na boca do pet, então o cãozinho começa a apresentar fraqueza e tristeza aparente, salivação excessiva e dificuldade para comer ração, devido ao sangramento de feridas que inflamam e incomodam muito durante a mastigação.

No médico veterinário, o diagnóstico é feito de acordo com o que o profissional observa nos resultados dos exames e os tratamentos variam de acordo com a localização do problema. Por exemplo, se o papiloma está na pálpebra do pet e causa lesão no olho dele, a verruga precisa ser removida o mais breve possível com uma cirurgia. O mesmo procedimento é recomendado quando o número de papilomas é grande o suficiente para impossibilitar a alimentação do cãozinho, fazendo-o ferir as verrugas dentro de sua boca frequentemente, sendo que alguns casos extremos exigem medidas drásticas, como a quimioterapia.

A imunoterapia  pode ser uma alternativa de tratamento, que se dá através de uma vacina, que consiste na fabricação de um medicamento injetável do próprio papiloma retirado do bichinho. Como esta vacina do papilomavírus enfraquecido é muito específica, costuma dar bons resultados nos tratamentos, mas em alguns pets as verrugas caem sozinhas com o tempo. O tratamento também pode ser feito com homeopatia, como por exemplo, o uso da Thuya.  Em casos isolados, durante o período de tratamento é muito comum surgirem inflamações secundárias, então o uso de antibióticos, anti-inflamatórios, vitaminas e suplementos, entre outros se faz necessário.

Apenas através de um bom exame clínico o médico veterinário poderá indicar o que deve ser feito, pois cada caso é um caso e merece atenção especial, mas a grande maioria dos cães responde bem ao tratamento e em pouco tempo a melhora é observada.


Essa informação foi útil para você?        

Ficou com dúvida ou quer mais informações?


Preencha o formulário abaixo para nosso especialista entrar em contato com você.


Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter.