Displasia coxofemural em cães


A displasia coxofemural é caracterizada pelo desequilíbrio no desenvolvimento da articulação coxofemural, afetando assim as estruturas envolvidas no processo de movimento, causando um desequilíbrio ou instabilidade. A articulação coxofemural localiza-se no quadril, sendo composta pelo encaixe da cabeça do fêmur na superfície articular, chamada de acetábulo. A estabilidade e saúde dessa articulação dependem do encaixe perfeito entre o fêmur e o acetábulo.

A instabilidade no quadril do animal existe porque o desenvolvimento dos ossos não segue o dos músculos, ou seja, ocorre uma disparidade entre a massa muscular e o rápido crescimento ósseo.
Esta doença afeta todas as raças, especialmente as de grande porte e crescimento acelerado, como Rottweillers, Pastores e Filas.

Os sinais clínicos dependem do grau da doença, mas em geral o animal apresenta dor no quadril, manqueira ou claudicação que piora após o exercício e dificuldade para levantar. O diagnóstico da doença deve ser realizado sempre pelo médico-veterinário, através de avaliações clínicas e exames radiográficos.

O uso de anti-inflamatórios e condroprotetores faz parte da rotina de cães com displasia coxofemoral. Para o auxílio terapêutico, a Ourofino disponibiliza o Maxicam Plus (associação do anti-inflamatório não esteroide meloxicam ao condroprotetor sulfato de condroitina A) e Condromax Pet (suplemento alimentar composto por sulfato de condroitina A, glicosamina e minerais).

Consulte sempre um médico-veterinário que indicará o melhor tratamento para seu animal de estimação. E lembre-se, quanto antes se iniciar o tratamento, melhor!

  • Já vacinou seu pet contra raiva?

  • Fique atento ao protocolo de vacinação!

  • Todo cuidado é pouco

  • Fique atento aos esconderijos dos carrapatos

  • Combate de pulgas e carrapatos: lembre-se de fazer o controle ambiental!

  • Falta de exercício físico pode causar estresse nos pets

  • Carregar mais dicas