20 de Fevereiro de 2017

Seu pet tem otite frequentemente?

Confira mais posts

Por Fernanda Costa Sousa Zinsly de Mattos, analista técnica na Ourofino Pet

Você sabia que entre os problemas de maior relevância na clínica veterinária estão os casos crônicos de otites? Atualmente eles representam 76,7% dos atendimentos e apresentam-se de forma recorrente e contínua por um período igual ou superior a seis meses.
 
O termo otite refere-se à inflamação do ouvido que leva à produção de uma cera de coloração alterada, cheiro forte, coceira intensa, além de causar um grande desconforto para o seu pet. Um dos comportamentos bastante observado nos animais com otite é o balançar de cabeça de um lado para outro e dor ao toque.
 
As otites podem ser causadas por infecções de bactérias, fungos, parasitas (carrapatos, sarna de orelha), produção excessiva de cera, traumas, presença de algum corpo estranho (como água durante o banho), falta de higiene ou a própria conformação auricular. Alguns animais têm maior tendência para desenvolver otites e produzem maior quantidade de cerúmen. São, por exemplo, os cães de raças que possuem as orelhas caídas (pendulares), como Cocker Spaniel, Golden Retriever e Basset Hound. Nestes pets a conformação das orelhas dificulta o arejamento e torna o conduto auditivo quente e úmido, ambiente propício para o desenvolvimento da inflamação.
 
As otites recidivantes ou recorrentes são aquelas causadas, na maioria das vezes, pelo uso incorreto de antibióticos e falhas no diagnóstico. Por isso é muito importante que o diagnóstico seja criterioso e o mais assertivo possível, para que o tratamento seja adequado tentando diminuir a probabilidade de recidivas. Se você notar que o ouvido do seu pet está com alguma alteração indicativa de problema otológico procure logo o atendimento de um médico-veterinário para que ele avalie a situação e indique as melhores soluções.
 
Limpar os ouvidos dos pets, além de ser uma medida muito importante na prevenção das otites, também auxilia durante o tratamento, pois somente em um ouvido limpo o medicamento consegue alcançar toda a área a ser tratada e ser bem absorvido pela pele para uma ação mais eficaz.
 
Cuidar bem dos ouvidos do pet é um gesto de carinho que contribui para o bem dessa relação!
 
Foto: ElementalImaging

Tags

Comentários

Patrícia Sobreira da Silva

Na realidade eu gostaria de tirar uma dúvida.
Eu gosto muito dos remédios da Ouro fino e gostaria de saber de posso utilizar em paralelo o antiinflamatório Maxicam 2 mg e o Auritop, pois o último tem antibiótico e o primeiro pede para não utilizar juntamente com antibiótico.
Meu cachorro é um Boxer de 4 anos, 35 Kg e está com otite.
Qual seria o problema de utilizar os dois remédios juntos? Obrigada.

Oi, Patrícia. Nosso departamento Técnico explica que o Maxicam 2 mg não pode ser administrado com antibióticos do grupo dos aminoglicosídeos, como está escrito na bula. No caso do Auritop, o antibiótico é a ciprofloxacina , que pertence ao grupo das fluoroquinolonas. Assim, não tem nenhuma restrição de uso associado destes dois produtos.
Se pudermos te ajudar com mais alguma informação, também estamos à disposição pelo 0800 941 2000. Nossos horários de atendimento são de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h30 às 17h30.
Abraços.

Sheila Galvão

Gostaria de registrar minha insatisfação na compra de um suplemento vitamínico para meu cão após uma internação de 14 dias pela doença de carrapato.O veterinário que o tratou preescreveu ENERGY PET no qual comprei na loja do mesmo.O medicamento próximo da data de vencimento causou mal estar e perda de apetite . Testei em três dos meus cães e ocorreu o mesmo problema.Ao retornar no veterinário para troca do medicamento,o mesmo se recusou a trocar e solicitou que entrássemos em contato com a empresa.
Tive um custo muito alto para salvar meu cão e não quero arriscar dando um medicamento q faz mal e gastei um valor que não tenho mais condições.
Aguardo retorno ....Certa de que vcs me ajudarão.

Olá, Sheila. Reclamações relacionadas à eficácia do produto devem ser registradas na nossa área de Farmacovigilância. Pedimos gentilmente que entre em contato pelo 0800 941 2000 (ligação gratuita). Nossos horários de atendimento são de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h30 às 17h30. Obrigado.

Deixe o seu comentário

Recebemos o seu comentário e entraremos em contato em até 3 dias. Conte também com o nosso SAC pelo 0800 941 2000.

Erro ao enviar, confira se todos os formulários estão corretos.

  • Doenças de inverno: cuidado com os pets

    25 jun
    2018

  • Cuidados com animais idosos

    18 mai
    2018

  • Infecções de ouvido nos cães

    24 abr
    2018

  • Cuidados com os filhotes: ectoparasitas

    26 mar
    2018

  • Dermatites bacterianas em cães

    16 fev
    2018

  • Anemia em cães

    17 jan
    2018

  • Carregar mais posts